Londrina: 100% hospitalidade

Londrina teve um crescimento acelerado e contínuo, tornando-se não só pólo regional como a terceira maior cidade do Sul do País, depois de Curitiba e Porto Alegre. Possui em torno de meio milhão de habitantes, influenciando direta e indiretamente mais de 200 municípios e 4.500.000 habitantes.

O clima da cidade segundo a classificação de Köppen é do tipo CFA, Clima subtropical úmido mesotérmico, com verões quentes e geadas pouco freqüentes, com tendência de concentração com chuvas nos meses de verão e temperatura média de 21 graus. Seu solo é rico para a agropecuária, sendo conhecido como terra roxa. Seus principais produtos são soja, milho, trigo, café, algodão, entre outros. Tem ainda grandes rebanhos bovinos com gado premiado em leilões e exposições. A Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, realizada na Sociedade Rural do Paraná no mês de abril movimenta milhares de dólares todos os anos em agronegócios.

A cidade possui também diversos Centros de Pesquisa e Instituições de Ensino Superior, entre os quais destacam-se a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Norte do Paraná (Unopar) e Centro Universitário Londrinense (Unifil).

Deve-se enfatizar ainda o espírito hospitaleiro do londrinense que é acolhedor e envolve a dimensão do conceito de hospitalidade que é entendido por especialistas como “a variada gama de atividades envolvidas com o receber humano, abrangendo não só os aspectos comerciais ligados à hotelaria e à restauração, mas também o setor denominado receptivo turístico, a recepção e hospitalidade graciosas, efetuadas por famílias em suas casas e todo o sistema urbano e sua infra-estrutura, envolvidos com modelos culturais associados ao receber: os eventos, o cerimonial, as festas, o lazer”.



Museu de Arte

A inauguração do Museu aconteceu em 1993 e teve como principal atração a escultura "A Eterna Primavera", de Auguste Rodin. Além desta, ficaram expostas obras de Menotti Del Pichia (Cabeça de Sancho Pança e Dom Quixote) e Vítor Brecheret, e ainda uma instalação de Yiftah Peled. O prédio onde funciona o museu foi projetado pelo arquiteto Vilanova Artigas.



Salto do Apucaraninha

Está localizado na região sul de Londrina, a cerca de 80 km do centro da cidade, dentro da reserva Apucaraninha, dos Índios Kaingang. O Salto do Apucaraninha é uma queda d'água com 116 metros de altura.

Para visitar o Salto do Apucaraninha é preciso solicitar autorização à FUNAI, e para chegar até lá basta seguir a PR 445 até o trevo do distrito de Lerroville, distante cerca de 03 km. Do distrito, segue-se uma estrada vicinal no fim da principal avenida. O trecho final da estrada é pavimentado.

Já na área do salto, passeie pela Usina e veja as turbinas, conhecendo assim mais um pouco da história de Londrina. Logo abaixo há uma outra estrada que leva até o rio Tibagi, que faz a divisa dos municípios de Londrina e São Jerônimo da Serra. Há ainda outra cachoeira com cerca de 10 m de altura.



Planetário de Londrina

O Projeto Planetário de Londrina, que possui fins acadêmicos, educativos e culturais, tem seu prédio construído no centro da cidade de Londrina. Trata-se de uma construção de alvenaria, com 232 metros quadrados e diâmetro de 16 m; teto abobadado, com 6,10 m de altura. A sala de projeção tem 8 metros de diâmetro e capacidade para 44 expectadores por sessão. O atendimento do planetário está previsto para aproximadamente 85.000 pessoas/ano, entre estudantes, professores, pessoas da cidade e turistas em geral.



Instituto de Desenvolvimento de Londrina - Diretoria de Turismo

Av. Tiradentes, 501 - Torre 1 - 9ª andar - Londrina - CEP: 86070-000
Telefone: (43) 3379-2300 - Fax: (43) 3327-6858
E-mail: codel@codel.londrina.pr.gov.br ou silvio.souza@codel.londrina.pr.gov.br
Site: www.codel.londrina.pr.gov.br


Textos extraídos dos sites www.londrina.pr.gov.br e www.londrinatur.com.br